Profilaxia de Tromboembolismo Venoso reduz taxas de mortalidade em pacientes internados - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Cuidados com a Saúde » Prevenção e Cuidados » Profilaxia de Tromboembolismo Venoso reduz taxas de mortalidade em pacientes internados

Profilaxia de Tromboembolismo Venoso reduz taxas de mortalidade em pacientes internados

O Tromboembolismo Venoso (TEV), com a consequente embolia pulmonar, é a causa de morte evitável mais comum em pacientes hospitalizados. A prevenção consiste em avaliar o risco e indicar a profilaxia adequada ao paciente.

Na Rede Mater Dei de Saúde, é executado o protocolo de prevenção do TEV, que tem como objetivo garantir que todos os pacientes sejam avaliados quanto ao risco de TEV e recebam a profilaxia adequada para a prevenção a doença. O trabalho começa com a triagem realizada pelo médico no momento da internação do paciente, ela busca identificar o risco de desenvolvimento do tromboembolismo e, consequentemente, define qual é o tipo de profilaxia que o paciente deverá utilizar. “Neste momento o médico avalia também as contraindicações. A partir daí , a cada 24h o médico será questionado sobre a possibilidade de mudança no risco, o que funciona como um alerta de adequação para a prescrição. Tudo isto é realizado dentro do prontuário eletrônico, de forma que o acompanhamento é feito via relatório gerencial e portal de gestão do paciente”, explica a diretora técnica da Rede, Daniela Pagliari.

A Rede Mater Dei de Saúde tem uma performance significativa na gestão deste protocolo. “Com um grande envolvimento do corpo clínico e um sistema automatizado de coleta de dados conseguimos garantir 100% de triagem dos nossos pacientes com mais de 24h de internação. Atigimos uma adequação de 70% nos casos cirúrgicos e 85% nos casos clínicos em 2016 e estamos num crescente sendo que de janeiro a março de 2017 já estamos com a adequação clínica em 92% e cirúrgica em 90%”, explica a diretora.

Discussões científicas
A Rede Mater Dei de Saúde sediou, no dia 27 de maio, o 1º Simpósio de Trombose e Hemostasia, que contou com o apoio da Sociedade Mineira de Cardiologia. Cerca de 80 médicos participaram do evento, que aconteceu no Hospital Mater Dei Santo Agostinho. “Buscar novos conhecimentos e discutir criticamente a melhor maneira de aplicá-los em situações clínicas especiais são os ganhos advindos deste simpósio para o corpo clínico e corpo gerencial da Rede. Para os pacientes que são assistidos por nós , a certeza que a ciência médica atualizada está sendo aplicada para a melhor assistência, reconhecendo e respeitando a necessidade e a individualidade do paciente”, explica o coordenador do Serviço de Cardiologia do Mater Dei Contorno, Henrique Patrus.

De acordo com o médico, o desenvolvimento de novos medicamentos e recentes estudos clínicos publicados na literatura médica trouxeram uma nova oportunidade de tratamento para pacientes acometidos pela trombose venosa, tromboembolismo pulmonar e fibrilação atrial. “A indicação correta e o conhecimento do manejo desses novos medicamentos diminui a chance do paciente sofrer acidente vascular cerebral e envolve muito menor risco de complicações, quando comparado ao tratamento tradicional, com medicamentos mais antigos”, acrescenta.

Publicado em: 14/07/2017

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Dicas

Termos relacionados Tromboembolismo cardiologia trombose

Posts Relacionados

04 Janeiro 2022

A equipe de cardiologia da Rede Mater...

O evento, que aconteceu virtualmente, foi uma grande oportunidade de discutir com os mais renomados cardiologistas de todo Brasil, os estudos científicos da subespecialidade de cardio-oncologia, baseado em estudos de casos clínicos atendidos pela Rede Mater Dei de...
11 Dezembro 2017

​Estudo científico é apresentado em...

A equipe de Cardiologia da Rede Mater Dei de Saúde apresentou, no Congresso Americano de Cardiologia (AHA Scientific Sessions), um estudo científico que estabelece a correlação entre acometimento cardíaco e maior gravidade da doença por dengue.
12 Junho 2018

Você sabia? Crianças também têm...

As consequências da cardiopatia congênita são diversas e heterogêneas, dependem do tipo de má formação. Quando não é corrigida, pode evoluir para dilatação e fraqueza do coração, arritmias cardíacas e problemas pulmonares irreversíveis.