Aleitamento materno - REDE MATER DEI DE SAÚDE

Amamentação: futuro sustentável

A Semana Mundial de Amamentação 2016 - SMAM, 1 a 7 de agosto, está aí para mostrar que podemos alcançar o desenvolvimento sustentável por meio da promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

A Revista Lancet, uma das mais importantes revistas médicas do mundo, publicou um amplo estudo em 2016 que analisou dados de aleitamento materno (AM) em 153 países e concluiu que mais investimentos em amamentação poderiam representar um acréscimo de mais de 300 bilhões de dólares à economia global anualmente. Isso porque as crianças amamentadas adequadamente crescem saudáveis e mais inteligentes, contribuindo assim para um próspero futuro da humanidade.

Já é de conhecimento geral que a amamentação é a base para a saúde e sobrevida em curto prazo (previne infecções na infância reduzindo a mortalidade infantil). No entanto, se ainda restavam dúvidas sobre o efeito da amamentação em longo prazo, uma pesquisa da Universidade Federal de Pelotas, realizada com 3,5 mil recém-nascidos provou que crianças amamentadas por mais de um ano têm escolaridade 10% superior àquelas que não completaram apenas um mês de alimentação com leite materno. Esse inédito estudo, liderado pelo brasileiro César Victora, confirmou o efeito entre aleitamento materno por mais de um ano e um maior QI (coeficiente de inteligência). E, consequentemente, o efeito sobre a renda: crianças com maior período de amamentação tornaram-se adultos com renda 33% superior a dos que não receberam leite materno por mais de 30 dias.

Porém, as taxas de aleitamento materno no mundo permaneceram estagnadas nas últimas duas décadas. O que não aconteceu em nosso país: dados da I Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno (AM) nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal – DF 2009 mostram que houve melhora da situação do aleitamento na última década no Brasil (constatou-se aumento de um mês na duração mediana do aleitamento materno exclusivo - AME). Porém, ainda são necessários esforços para que o Brasil atinja índices de aleitamento materno compatíveis com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nesse contexto, a Maternidade da Rede Mater Dei de Saúde, concentrada no Mater Dei Santo Agostinho, encontra-se acima da média nacional. Dados referentes ao aleitamento materno exclusivo apontam para quase 70% dos bebês sendo amamentados (AME) aos 30 dias de vida em 2016, de acordo com a análise do Serviço de Neonatologia da Rede Mater Dei de Saúde, e a expectativa que essa boa taxa de aleitamento materno seja mantida até os seis meses do bebê.

Sabe-se que inúmeras barreiras tornam extremamente difícil para as mulheres a amamentação exclusiva por seis meses e a continuidade da amamentação por dois anos ou mais, como recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Por isso, devemos ser mais ativos na causa do aleitamento materno ótimo e envolver ainda mais pessoas para tornar isso uma realidade. E, a Semana Mundial de Amamentação 2016 é um estímulo a para nos ajudar a concretizar isso.


RESPONSÁVEIS:
Ana Luiza Diniz Durães Pereira
Pediatra da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 54607

Paulo Poggiali
Coordenador do Serviço de Neonatologia da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 08369
 


Publicado em: 05/08/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Cuidados com o bebê

Posts Relacionados

24 Setembro 2019

Programa "Uma vida, uma...

Até hoje, mais de 25 mil mudas foram plantadas em parques e canteiros espalhados pela região metropolitana de Belo Horizonte através do programa
11 Fevereiro 2019

Curso do Casal Grávido

As inscrições estão abertas! Ao longo de 2019 estão previstos nove cursos, que acontecerão entre março e novembro, sempre nas primeiras duas quartas-feiras do mês, das 19h às 22h.
12 Julho 2021

Laserterapia Mamilar: Saiba como...

​Apesar de todos os seus benefícios, a amamentação pode ser desafiadora nas primeiras semanas em que a mãe e o bebê ainda estão se adequando à nova rotina, e a produção de leite adequada.