Acompanhamento da asma por toda a vida - REDE MATER DEI DE SAÚDE
Cuidados com a Saúde » Prevenção e Cuidados » Protocolos assistenciais gerenciados para reconhecimento imediato de Sepse

Protocolos assistenciais gerenciados para reconhecimento imediato de Sepse

O Dia Mundial da Sepse, 13.09, foi instituído pela Global Sepsis Alliance - GSA, uma organização sem fins lucrativos, para aumentar a percepção da sepse entre profissionais de saúde e o público leigo e, assim, priorizar a sepse como uma emergência médica a fim de que todos os pacientes possam receber intervenções básicas, incluindo antibióticos e fluidos intravenosos, dentro da primeira hora. De acordo com estudos da GSA, o tratamento precoce está associado à melhora na sobrevida mas a aderência a essas medidas ainda é muito baixa no Brasil e no mundo.

A Sepse é uma das principais causas de morte em hospitais no país, com letalidade em torno de 60%, uma das maiores do mundo. Pesquisas revelam que são mais de 400 mil casos e, aproximadamente, 220 mil pessoas morrem todos os anos por causa da doença. O principal desafio das unidades de saúde é o diagnóstico precoce de sepse. A Rede Mater Dei de Saúde acredita que a efetiva implementação de protocolos assistenciais gerenciados e o investimento em treinamentos para os profissionais de saúde são capazes de promover o reconhecimento e o diagnóstico precoce e, consequentemente, diminuir a letalidade por sepse. A agilidade é fundamental no tratamento da doença: a cada hora perdida a mortalidade aumenta.

Mas, o que é a Sepse?
É a manifestação, a resposta do organismo a uma doença infecciosa adquirida na comunidade ou dentro do hospital, que pode estar localizada no pulmão, na urina ou mesmo no intestino. A gerente médica da Rede Mater Dei de Saúde, Daniela Pagliari, explica que ao tentar combater essa infecção, pode haver um desarranjo entre resposta inflamatória e anti-inflamatória do organismo que gera um mal funcionamento dos órgãos e então acontece o que chamamos de sepse grave e choque séptico. “Comumente, as pessoas associam a sepse à infecção hospitalar. Por isso, é preciso esclarecer que tanto as infecções de urina, dor de garganta e pneumonias adquiridas em casa podem evoluir com sepse grave, assim como as infecções adquiridas no hospital. Um ponto importante é que a sepse grave e o choque séptico são reações desorganizadas e desequilibras do organismo em relação a uma infecção e que existe uma predisposição genética que favorece o desenvolvimento de sepse grave e choque séptico, que deve ser sempre levada em conta. Outra questão, diz respeito a predisposição que alguns pacientes têm para desenvolver sepse, que está relacionada com a diminuição das defesas do organismo, como acontece nos pacientes imunossuprimidos como diabéticos, renais crônicos, oncológicos e portadores de Síndrome da Imunodeficiência adquirida – Sida”, explica Daniela.

Sintomas iniciais de uma infecção grave:
Febre alta, aceleração no coração, respiração rápida/falta de ar, fraqueza, queda da pressão arterial/pressão baixa, redução da quantidade de urina, sonolência, alteração da consciência. Diante de suspeita de Sepse, procure imediatamente uma unidade de saúde.

Diagnóstico:
Não existe exame específico para diagnóstico da sepse. Ele é sempre feito somando um conjunto de sinais, sintomas e de alterações de exames laboratoriais. Por isso, todos os profissionais de saúde devem estar informados e treinados para reconhecer os sinais e os sintomas iniciais de sepse, como o mal funcionamento de órgãos. O rápido reconhecimento da doença e o tratamento adequado aumentam as chances de sobreviver. Os Prontos-socorros do Mater Dei Santo Agostinho e do Mater Dei Contorno contam com protocolos específicos de reconhecimento de sepse. “Com a iniciativa, as enfermeiras que estão diante de quadro de infecção estão treinadas para sinalizarem os casos de suspeita de sepse. A partir desta sinalização, os pacientes são encaminhados para o cuidado prioritário do médico. Após a avaliação inicial, imediatamente e confirmada a forte suspeita de sepse, passa-se à coleta de culturas do sangue, a introdução de antibióticos e a hidratação com uso de soro. Estas três medidas têm seus tempos monitorados, continuamente, no intuito de corrigir eventuais atrasos e, entendemos, que são medidas que param a sepse e quando implementadas e gerenciadas são capazes de salvar vidas”, esclarece a gerente médica.
 
Pronto-socorro Mater Dei Santo Agostinho
Rua Gonçalves Dias, 2.700.

Pronto-socorro Mater Dei Contorno
Avenida do Contorno, 9000.
31.3339-9000 - Belo Horizonte/MG


RESPONSÁVEL:
Daniela Pagliari
Gerente médica da Rede Mater Dei de Saúde
CRM-MG: 41197
 

Publicado em: 13/09/2016

Este conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado pelo feedback. Sua opinião nos ajuda a criar um site melhor a cada dia.

Este post é sobre Dicas

Posts Relacionados

13 Setembro 2017

Sepse: um minuto pode salvar vidas

A sepse é a manifestação do organismo a uma doença infecciosa adquirida na comunidade ou dentro de um hospital.
13 Setembro 2016

Protocolos assistenciais gerenciados...

Rede Mater Dei de Saúde investe em protocolos assistenciais gerenciados para reconhecimento imediato de sepse.
02 Agosto 2016

Mater Dei faz campanha de...

A Rede Mater Dei de Saúde adotou como meta institucional a higiene adequada das mãos pelos profissionais como importante medida de segurança do paciente e prevenção das infecções hospitalares.